O partido do Brasil

Notícias

Cidades administradas pelo Democratas estão prontas para iniciar imunização contra a COVID-19

Gestores de capitais administradas pelo Democratas já anunciaram como será o plano de imunização contra a covid-19. Em Salvador, o prefeito Bruno Reis (Democratas) apresentou hoje, 13, em coletiva realizada com a imprensa, o plano de vacinação para a capital. A previsão é de que sejam aplicadas 15 mil doses por hora. A imunização será feita em drive-thrus, 23 centros de vacinação, institutos de longa permanência e asilos.

Segundo o prefeito, plano de imunização da capital baiana, que será dividido em quatro etapas, terá contratação de profissionais da Saúde por meio de Regime Especial de Direito Administrativo (Reda) e escolta das vacinas. Ele informou ainda que a prefeitura pretende começar a imunização entre 48 e 72 horas após chegada da vacina em Salvador. As doses serão escoltadas e haverá segurança nos locais de vacinação, para evitar ocorrências. Na 1ª fase serão imunizados: Trabalhadores da Educação, População idosa com 75 anos ou mais; Pessoas com 60 anos ou mais, que vivem em instituições de longa permanência, asilos ou instituições psiquiátricas;Indígenas, aldeados, povos de comunidades ribeirinhas. Na 2ª fase: Pessoas de 60 a 74 anos. 3ª fase: Pessoas com comorbidades crônicas,Tranplantados, Obesos. E na 4ª fase: Trabalhadores da educação; Pessoas com deficiência severa; Membros das forças armadas; Membros das forças de salvamento; Funcionários do sistema carcerário; População em privação de liberdade; Trabalhadores do transporte coletivo; Trabalhadores rodoviários de carga.

A vacinação contra o coronavírus ainda depende de aprovação do imunizante pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). O Instituto Butantan entrou com o pedido de uso emergencial da chamada CoronaVac, desenvolvida em parceria com o laboratório Sinovac. Já a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) solicitou a aplicação emergencial do imunizante desenvolvido em parceria com a Universidade de Oxford e o laboratório AstraZeneca.

Em Florianópolis, o prefeito Gean Loureiro declarou que a cidade, no entanto, já tem 500 profissionais de saúde capacitados para vacinar, 49 câmaras frias para armazenamento das doses e mais de 300 mil seringas devem chegar nos próximos dias. Segundo Gean, técnicos da prefeitura estão verificando junto aos técnicos da Universidade Federal de Santa Catarina a possibilidade de utilização de ultrafreezers para armazenar a vacina da Pfizer, que necessita de uma temperatura abaixo de -70º, caso seja uma das contratadas do Ministério da Saúde. A medida trará uma economia para o município e “a parceria com uma Universidade referência no Brasil, traz muita segurança”, comemorou o prefeito em uma rede social.

Na cidade do Rio de Janeiro, o prefeito Eduardo Paes (Democratas) declarou que a vacinação contra Covid-19 na capital fluminense deve ter início até o final do mês. Ainda segundo ele, a cidade seguirá o Plano Nacional de Imunização. “Temos uma luz no fim do túnel. A vacina está chegando. Devemos começar a vacinação até o fim de janeiro. Ela vai começar simultaneamente em todo o Brasil. Agora aguardamos a data que será anunciada pelo Ministério da Saúde para o Plano Nacional de Imunização”, disse Paes.

O prefeito comemorou a distribuição dos 450 mil testes para a COVID-Q19 e disse que o Rio está pronto para iniciar a imunização. Entre as ações anunciadas pela prefeitura no plano de imunização estão a vacinação da população, a abertura de novos leitos de internação, a ampliação da testagem e a ativação do Centro de Operações de Emergências em Saúde – COE COVID-19 RIO. Também será lançado um aplicativo para que as pessoas possam fazer a autonotificação de casos.

O objetivo da prefeitura do Rio de Janeiro é o de imunizar 2,6 milhões de pessoas nas primeiras quatro etapas do plano de vacinação, a partir do cronograma do Programa Nacional de Imunização do Ministério da Saúde. A estratégia envolverá 450 pontos de vacinação na cidade, a maioria nas Clínicas da Família e Centros Municipais de Saúde, com 10,5 mil profissionais envolvidos.