O partido do Brasil

Notícias

Bahia não acompanha redução nacional de homicídios e mantém liderança de mortes violentas

A Bahia não acompanhou a redução nacional no número de homicídios e manteve a liderança do ranking nacional de mortes violentas, de acordo com o Monitor da Violência, levantamento feito pelo portal G1 com base em dados oficiais dos 26 estados e do Distrito Federal. Segundo o estudo, de janeiro a junho deste ano, o Estado registrou 2.590 assassinatos, contra 3.080 no mesmo período de 2018. Os dados apontam para uma redução de quase 16%, no entanto, a Bahia mantém a liderança nacional no 1° semestre deste ano, superando estados mais populosos como São Paulo (1.605 homicídios), Minas Gerais (1.393) e até mesmo o Rio de Janeiro (2.162) – que enfrenta nos últimos anos uma crise na segurança. No país, a queda foi de 22%, saindo de 27.371 no primeiro semestre de 2018 para 21.289 no mesmo período deste ano.

O levantamento do G1 mostra que a Bahia não tem acompanhado a redução nacional. Entre janeiro a junho deste ano, o volume de mortes violentas no Estado representavam 12,16% do total registrado no país. Já em 2018, durante todo o ano, o percentual da Bahia em relação ao total nacional era de 10,89% – foram registradas 5.620 mortes violentas no Estado contra 51.596 no país.

Na avaliação do deputado estadual Targino Machado (Democratas), líder da Oposição na Assembleia Legislativa da Bahia, os números refletem a ineficácia das políticas do governo do Estado para conter a violência. “Em 2019, a Bahia aumentou o percentual de participação no número total de mortes violentas do país. Ou seja, apesar de estarmos reduzindo, estamos num ritmo mais lento de queda em relação ao conjunto dos estados. Só mostra a ineficiência do governo Rui Costa (PT) para solucionar os problemas da Bahia”, afirma.

Para Targino, as fragilidades do governo Rui nas mais diversas áreas, não apenas na segurança, levam a Bahia a esta situação. “Não basta investir em polícia, coisa que o governo nem tem feito. No interior, o que vemos são batalhões, delegacias, viaturas sucateados e policiais desvalorizados. Para completar, o ensino médio é pior do país, a saúde é um caos e a taxa de desemprego do estado é a maior do país. Rui é o governador que não consegue combater o crime nem gerar oportunidades para os baianos”, destaca.

“Mesmo com a redução, ainda temos um número alarmante de homicídios. São, em média, 14 pessoas assassinadas por dia. A cada duas horas, uma pessoa é vítima de homicídios na Bahia. O Rio de Janeiro, que há tempos sofre com uma crise de segurança, tem números ainda menores do que a Bahia”, complementa o líder da Oposição.

Política Livre